Paulo Bomfim homenageia amigos do Rio Grande do Sul

Dedicatória: Meu caro Desembargador Walter Xavier Homrich.
Aí vai a oração que pronunciei me Porto Alegre, Nov., ao ser homenageado pela Academia Riograndense de Letras.
Um abraço, Paulo

Piratini-Piratininga,
Meu canto de amor paulista
Aos pagos de Manoelito,
E meus sapatos florindo
Na Rua dos Cataventos:
Ai quereres, ai querências
Rodeios do meu sonhar,
Porto Alegre, porta-senda
Saga-landa, panda-aurora,
Vossas Lendas, vosso Sul,
Soletrando liberdade!
Sou aquele caminheiro
Que vem de longe buscando
Vosso Tempo e vosso Vento,
E o sol de Antonio Chimango!
(Negrinho do Pastoreio,
Trazei de volta as palavras
Rêses rezas tresmalhadas
Em campos do nunca mais!)
Ó Província de São Pedro,
Pedra esculpindo fronteiras,
Farrapos sangrando auroras,
Minuano trazendo aos olhos
O sal de 93!
Ai quereres, ai querências,
Ai Ponchos Verdes flutuando
No Martírio de Wamosy,
E o pampa de evocações,
E a coxilha caminhando
Na canção de vossos fogos!
Campeio Ruínas Vivas
E busco a senda secreta,
(Quimera de Guimarães,)
No azul de vossos azuis:
(-Irmão Alvaro Moreyra
Em seu Porto aéreo Alegre
Sonhai e velai por nós!)
Felipe acende o horizonte
Na luz, da Lanterna Verde,
A brisa vai repetindo
Uma prece à Lila Ripoll,
O dia, galpão de pranto,
No olhar de Reynaldo Moura,
Moliterno e seus Quixotes,
Augusto Meyer partindo
Com seu sorriso interior,
E Spalding tecendo História
No manto da Medianeira!
Piratini-Piratininga,
Guaíba de meu Tietê,
Irmãos chamando os meus passos
No gesto de sua gesta:
-Guardai-me como vos guardo Na hora que vos aguarda
Entre meus laços missioneiros
E a missão que nos reúne
Ao Sul de tanta saudade!