Paulo Bomfim recebe homenagem da 6ª Câmara de Direito Privado

A 6ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo prestou homenagem ao poeta Paulo Bomfim, hoje (16/10), pelo recebimento do prêmio da Fundação Bunge, na área de Literatura, no último dia 25.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Roberto Antonio Vallim Bellocchi, realizou a abertura do encontro, dizendo ser "um prazer presidir a sessão solene, apesar de parecer singela, na justa homenagem a um homem solene, que também é simples."

O desembargador Justino Magno de Araújo, presidente da 6ª Câmara de Direito Privado, disse, "no ano de datas efemérides, como o bicentenário da chegada da Família Real ao Brasil, o centenário da Imigração Japonesa, o centenário de Machado de Assis, o Tribunal de Justiça assistiu, com alegria, à entrega do Prêmio da Fundação Bunge a Paulo Bomfim na categoria Literatura e terminou seu discurso declinando uma poesia de sua autoria, "A Grande Conquista", que faz um paralelo do prêmio com as Olimpíadas de Pequim. "Na raia olímpica da literatura, a poesia apresentou um competidor. Paulo Bomfim nadou com desenvoltura nas águas do Bunge, o grande vencedor."

O desembargador Márcio Bonilha também prestou sua homenagem. Fizeram uso da palavra também o desembargador Sebastião Carlos Garcia e o doutor Antonio Carlos Mourão Bonetti, que discursou em nome dos ex-alunos da Universidade de São Paulo e da Ordem dos Advogados do Brasil.

Em seu discurso, Paulo Bomfim comentou: "é um momento de beleza inesquecível, em toda a vida estive em contemplação neste Tribunal, recebendo as manifestações de amor. Se tenho essa mocidade, é porque recebo o calor dos corações de todos aqui". O poeta recebeu a poesia do desembargador Justino de Araújo das mãos da primeira desembargadora paulista, Luzia Galvão Lopes da Silva, e a desembargadora Isabela Gama de Magalhães Gomes entregou a Paulo Bomfim a placa de homenagem da solenidade.

A entrega do 53º Prêmio Bunge aconteceu no Palácio dos Bandeirantes e foram premiados, na área de Literatura, o chefe do Cerimonial e Relações Públicas do Tribunal de Justiça de São Paulo, poeta Paulo Bomfim, e a jornalista e escritora Mariana Ianelli. Paulo Bomfim e Nilson Villa Nova foram contemplados na categoria "Vida e Obra", enquanto Mariana Ianelli e Genei Dalmago receberam a premiação na categoria "Juventude".

Também estiveram presentes à homenagem o decano do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Luiz Elias Tâmbara; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Ruy Pereira Camilo; o presidente da Seção Criminal, desembargador Eduardo Pereira Santos; os membros da 6ª Câmara de Direito Privado, advogados, amigos e admiradores do poeta.