Poeta Paulo Bomfim recebe título de Cidadão de Itanhaém

cidadao itanhaem 5eb9b

O chefe do Cerimonial e Relações Públicas do Tribunal de Justiça de São Paulo, poeta Paulo Bomfim, recebeu na última sexta-feira (10/10) o título de Cidadão Itanhaense. Na cerimônia de entrega, o presidente do TJSP, Roberto Antonio Vallim Bellocchi foi representado pelo desembargador Luiz Antonio Rodrigues da Silva, presidente da Seção de Direito Privado.

Em seu discurso, a juíza diretora do fórum de Itanhaém, Helen Cristina de Melo Alexandre, frisou que ser poeta é enxergar a vida com os olhos da alma, vislumbrar o belo nas coisas mais singelas da vida. “Serve como paradigma, ser poeta, a despeito das adversidades, temos que não apenas aplicar a letra fria da lei, mas também deixar aflorar o lirismo que harmoniza as decisões”. Ela ressaltou: “a poesia nos faz parar e refletir, que não somos apenas seres materialistas, desprovidos de sentimentos”.

O desembargador Antonio Marson, atestou em seu discurso poético que Paulo Bomfim “deixou os cabelos embranquecer em paz e as rugas formarem no rosto o roteiro de viagens que fez por pessoas e idéias, evitando fazer concessões para ser admitido em universos mais novos, não renegando a sua geração e muito menos atirando pedras na face de um passado donde proveio. O desembargador completou: “de muito amor que foi amado, fez o combustível espiritual que o ajuda a atravessar oito décadas de percurso. Diariamente transforma o porto dos 80, como já fazia antes, no oceano de novas descobertas”.

Ao discursar, Paulo Bomfim emocionado declama “não sei por onde começar nem por onde terminar, pois todos os depoimentos me trouxeram muita emoção. Quando Zé Rosendo falou e trouxe recados da nossa mocidade, tanto coisas vindo, um galope de lembranças que me fez emocionar”. O poeta lembrou momentos vividos em Itanhaém e dos amigos ali presentes e daqueles que já partiram. Ele cita um recado que deixou numa ocasião no travesseiro de Emmy, sua companheira por décadas: “longe de ti eu me sinto ave sem pouso e sem mar; longe de ti sou apenas a praia longe do mar”, declarando que Emmy estava muito presente na cerimônia.

“Paulo Bomfim foi e é grande colaborador do Judiciário, pois, além de suavizar com sua obra o penoso trabalho dos magistrados, chefia o Cerimonial do Tribunal de Justiça”, lembrou o desembargador Luiz Antonio Rodrigues da Silva. Ele disse ainda que o poeta é uma grande figura das Letras, particularmente da poesia, e um grande inspirador da alegria de viver. “Você sempre foi além dos limites do ser humano, você é um jovem de 80 anos!”, finalizou.

Estiveram presentes ao evento os desembargadores Antonio Marson, representando o Corregedor Geral da Justiça; Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, 1º vice- presidente da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis); Ademir de Carvalho Benedito, coordenador da 56ª Circunscrição Judiciária; a juíza assessora da Presidência do Tribunal, Ana Amazonas Barroso Carrieri, bem como juízes e promotores do fórum local e da região.

Participaram também do evento, o presidente interino da 83ª Subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Djalma Filoso Júnior; o prefeito João Carlos Forssell Neto, o vice-presidente da Câmara Municipal, Allan Kardec Pitta Veloso, dentre outras autoridades.